Quero receber as novidades por e-mail
Malas Pra Que Te Quero

Os Malas respondem #1

por Lívia Bergo

Levar dinheiro ou cartão na viagem? O que fazer em caso de bagagem extraviada? Hostels são mesmo seguros? Você perguntou e a gente respondeu!

Antes de saber mais, se você ainda não ativou as notificações, clica no sininho que aparece no canto inferior direito do site para ser informado sempre que tiver post novo. 😉

Aperte o play e vem com a gente!

Outros posts que você deve gostar:
– Um dia em LONDRES – 10 atrações em 10 horas!
– Roteiro de 1 dia em LONDRES
– 5 maneiras de economizar e viajar barato pelo mundo

Transcrição do vídeo:

(tem certeza que não prefere assistir lá em cima? rs)

“Fala galera! Tudo bem?

Na semana passada, a gente pediu, através das mídias sociais, pra vocês nos enviarem perguntas sobre viagens… e hoje nós vamos responder algumas delas.

Na verdade, eu estou sozinha aqui mas eu, às vezes, falo no plural.. eu e o Smeagol temos essa mania.

Então, esse é o nosso primeiro “Pergunta que o Malas responde”! Ou pode ser “Pergunta que os Malas respondem”. Vamos decidir isso ainda…

A Solange vai fazer um intercâmbio de seis semanas em Londres e visitar alguns países europeus.

Ela diz aqui: “Não sei se levo papel-moeda, cartão VTM ou meu cartão de crédito/débito internacional.”

Então… essa é a pergunta que a gente mais ouve… e a resposta pode variar bastante dependendo do tempo que você vai ficar no seu destino ou do local para onde você está indo, né…

No seu caso, Solange, especificamente, eu recomendaria usar o dinheiro em espécie.

Levar o tanto que você conseguir de dinheiro em espécie, né… e usar o seu cartão internacional… ter ele com você habilitado só em casos realmente de emergência… ter ele pra emergência.

Hoje em dia, o IOF que a gente paga no cartão pré-pago, ou, como você chamou, Visa Travel Money… ele é o mesmo IOF de um cartão de crédito.

Porém, no crédito, você ganha as milhas e os pontos do cartão, pelo menos, né… E isso não acontece com o cartão pré pago.

Então, assim, hoje realmente acho que o cartão pré-pago parou de ser uma boa opção… depois que ele passou a ter o mesmo IOF do cartão de crédito, né. Então, pra você, eu recomendo, realmente, trazer o dinheiro em espécie.

Se, por acaso, você fez as contas já e sabe que vai usar muito dinheiro, talvez seja legal você trazer uma parte… depois de algumas semanas na Europa você pedir para alguém da sua confiança no Brasil enviar mais dinheiro via o MoneyGram, que é um sistema que a maioria das casas de câmbio no Brasil é conveniada. Então alguém da sua confiança vai até a casa de câmbio, portanto apenas o número de seu passaporte e a cidade onde você vai estar… ele deposita o dinheiro e você, estando já na Europa, saca esse dinheiro uma agência conveniada, que, em Londres, provavelmente vai ser um Correio… tá? Uma agência de correios…

Então vou deixar aqui embaixo, na descrição desse vídeo, um link para o site do MoneyGram pra você conhecer melhor e quem mais tiver essa dúvida também, ta bom?

A Ana Glaicy perguntou sobre albergues e hostels: Temo pela segurança pessoal dos pertences e documentos que levar. Fale se isso é verdade ou mito.
A gente já usou hostels na América do Sul, nos Estados Unidos e pela Europa e nunca tivemos problema. Então, a gente realmente pode dizer que, se tiver inconvenientes, não é maioria.

Primeiro, acho que porque os hostels têm quartos mistos e quartos femininos exclusivos. Então, se você tiver com alguma insegurança em relação a isso, escolha os quartos exclusivos para mulheres…e dá pra você ficar mais tranquila.

Segundo, porque a maioria dos hostels também oferece lockers ou armários com chave, pra você guardar seus pertences

E, terceiro, porque, no geral, as outras pessoas que estão no hostel também têm o mesmo objetivo que você, que é turismo, que é conhecer o lugar e não furto, né. Então, as chances não são tão grandes assim de ter um problema.

A gente recomenda os cuidados básicos, que recomendaria mesmo num hotel normal, que é você andar com seu celular, sua câmera, seu dinheiro, documentos mais importantes… contigo, né.

A mala ou mochila com roupas pode deixar no hostel ou no hotel mesmo que vai ser tranquilo como qualquer outro lugar em que você se hospedaria. Pelo menos essa é a nossa experiência.

A Juh pergunta: “Pra fazer intercâmbio eu preciso saber a língua do país que eu vou?”

Juh, a gente fez um vídeo basicamente sobre esse tema, tá… de idiomas… Eu vou deixar o link do vídeo aqui ó… bem aqui o link do vídeo pra quem quiser acessar…

Mas, para o seu caso específico, acho que dá pra gente pensar em dois lados. O primeiro é que você não precisa ficar em pânico… ficar tensa sobre quando chegar lá… se vai saber falar…
ou se vai se comunicar… porque você tá indo pra aprender.

Basicamente, é isso que as pessoas fazem, né… e você vai se impressionar o tanto que a gente aprende quando está no local e é obrigado a falar a língua todos os dias. Então, não vá em pânico.

Mas, por outro lado, o que a gente tem que pensar também, é que ninguém quer perder dinheiro… perder tempo, né.

Então, você está viajando para fora do país e se você chegar lá sabendo já, você vai aproveitar todas as trocas e aprender tudo desde o início. Então, chegar sem saber… você pode estar perdendo tempo e time is money a time em dólar e euro é mais money ainda. Então, ninguém quer perder esse dinheiro e esse tempo, né. Então, meu conselho: é aprende básico…

Tenta pelo menos chegar lá já sabendo compreender. Com o tempo lá você vai perder a vergonha de falar, de se expressar em público e tal. Mas, talvez, chegar lá já entendendo o que está sendo falado para você ou o que você está lendo, já ajuda a não perder não perder nenhum tempo nessa experiência. Pra te ajudar nisso, vou deixar um link aqui na descrição desse vídeo, pra uma matéria no nosso site, que é sobre dicas para aprender um novo idioma. Acho que você vai gostar.

O Daniel pergunta: “que países onde se fala espanhol são bons e baratos para viajar?”

Eu fiquei com medo de falar isso no chute porque a gente, obviamente, não visitou todos os países de língua espanhola para poder falar isso 100%. Mas, então, pesquisei em seis sites especializados em contas… custos de viagem… e vi os seis países que estavam em todos eles. E são: Bolívia, Guatemala, México, Argentina, Costa Rica e Peru.

Claro que, de imediato, o que a gente percebe é que todos eles têm uma moeda mais fraca, mais desvalorizada em relação ao Real, ou mesmo, lógico, ao dólar e ao euro. Mas eu acho que, mais que pensar no país a visitar é legal e importante pensar na cidade que você vai visitar. Por exemplo, visitar Mendoza, na Argentina, é bem mais barato que visitar Buenos Aires. Visitar Lima, no Peru, é mais econômico que visitar Machu Picchu. E você conhecer a Cidade do México, ou outras praias mexicanas, é mais barato que conhecer Cancún.

Então, mais do que você pensar no país, é legal ter um roteiro mais inteligente em termos de cidade, tá. Então, para te ajudar nisso, eu vou deixar na descrição desse vídeo dois links de dois sites que fazem… ajudam nesse custo… nesse cálculo de custo de viagem, tá. E, também, o link para o nosso site que tem uma matéria que fala sobre dez lugares bem baratos para viajar que são tão legais quanto os lugares caros que são parecidos ou vizinho a eles.

A Daisy pergunta: “o que fazer quando a nossa bagagem é desviada, danificada ou furtada?”

Bom, acho que o primeiro a gente tem que chorar… realmente, né…

Quando nossa mala é extraviada a gente passa por cinco estágios, né…

A esteira vai esvaziando… esvaziando… esvaziando…
Não! O último lote de malas está atrasado. Vai chegar ali, logo. Vamos esperar mais um pouquinho.
Como assim, gente? Como assim? Absurdo isso! É por isso que esse país não vai pra frente!
Vou processar essa empresa… esse aeroporto… todo mundo!

Aí, malinha… chega! Vem! Nunca te pedi nada! Cadê você?

Ferrou! Eu só tenho a roupa do corpo… e dois lenços umidecidos.
Se era pra ficar sujo e pelado eu ficava no Brasil mesmo.

A gente é muito apegado mesmo, né… às coisas materiais, gente…
Pra que tanta roupa? O que são três dias sem trocar roupa íntima? Não é nada!

Bem, quando você chegar nesse último estágio… já sabe que não não vai chegar mala nenhuma naquela esteira mesmo… você deve se dirigir ao setor, do aeroporto, de malas extraviadas (a maioria dos aeroportos tem um setor específico)… ou então ao balcão da companhia pela qual você voou. Lá você preenche um formulário com dados sobre você, sobre a sua mala, sobre o seu vôo e sobre o lugar onde você vai ficar hospedado.

Se a sua bagagem ficar desaparecida por mais de três dias, a companhia aérea tem que te pagar cerca de 380 reais para itens de primeira necessidade. Mas é só isso!

Na verdade, ela tem, depois, um mês para achar sua bagagem e devolver. É! Um mês! Então, o melhor a fazer ainda é se prevenir. Levar sempre os itens de valor (câmera, celular, dinheiro e documentos) contigo, na sua mala de mão. E levar uma troca de roupa nesta mala de mão pra você não passar aperto quando desembarcar… identificar bem a sua mala… pôr uma fita colorida pra ninguém pegar sua mala por engano na esteira… e torcer… torcer pra não ser contigo que vai acontecer na próxima vez. É isso!”

Bora planejar essa viagem?

Usando os links abaixo você nos ajuda a manter nosso site, sem pagar nada a mais por isso (e em alguns casos até ganha desconto 😊).

🏨 Hospedagem: reserve na Booking.com clicando AQUI 🏥 Seguro Viagem: ganhe 5% de desconto na Seguros Promo com o nosso cupom de desconto MALASPRAQUE5 🚘 Carro: alugue na Rentcars.com clicando AQUI 🏡 Airbnb: ganhe R$ 100 de desconto na sua 1ª hospedagem

Você também pode salvar os links acima como favoritos e usar sempre que for viajar!

Os Malas agradecem! 🤗

Compartilhe esta página e leve mais gente nessa viagem!